PROJETOS


Bailado

Projeto de música instrumental brasileira realizado pelo duo de contrabaixo (Marcos Paiva) e piano (Daniel Grajew), onde o gingado e o movimento das danças urbanas brasileiras do início do século XIX é a linha mestra guiando as composições e arranjos. Trata-se de um olhar para o passado e o estilo dos "pianeiros" como Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga, com uso de ritmos como maxixe, tango brasileiro, samba, choro e valsas com pitadas de jazz e música clássica, em composições autorais e releituras de temas como Tenebroso de Ernesto Nazareth e Araribóia de Anacleto de Medeiros, entre outros. O duo lança o CD Bailado em 2016, podendo ser adquirido diretamente conosco.


Escualo Enseble

Vindos de mundos musicais e étnicos ricos e distintos, Rubén Zúñiga (vibrafone), Amanda Martins (violino), Cláudio Torezan (contrabaixo) e Daniel Grajew (piano e acordeon) encontram no tango uma linguagem em comum, formando o Escualo Ensemble. Na Argentina, a palavra escualo vem do italiano squalo que significa tubarão e é titulo de uma importante obra de Astor Piazzolla, que costumava pescar tubarões em Punta del Leste. O grupo se encontrou para viajar às origens do tango e tem como objetivo tocar aquilo que era comum nos bares, cafés e casas noturnas.

Apaixonado pelo que faz, Escualo Ensemble se apresenta com festa, unindo o que o tango traz de passional, rústico, visceral, ruidoso, sofisticado e elegante. Através de arranjos próprios procuram um constante aprimoramento em busca de novas texturas que transmitam os ruídos noturnos das cidades grandes, a sensualidade da dança e a intensidade do tango. 


Daniel Grajew Trio


O pianista paulistano Daniel Grajew traz, em seu primeiro trabalho autoral, uma mistura de ritmos tradicionais brasileiros (baião, choro, chamamé e ijexá), com influência da música erudita e da música instrumental brasileira, Grajew celebra a regionalidade sem perder de vista a atmosfera cosmopolita em que está imerso. Suas influências vão desde Villa-Lobos, Nazareth, Jobim, passando por Chopin e Debussy, Gismonti, K. Jarrett e Ahmad Jamal.

Acompanhado por Nilton Leonarde ao contrabaixo e Humberto Zigler à bateria, o trio apresenta uma sonoridade coesa e pulsante, com espaço para a criatividade e interação, num show que inclui músicas do CD "Manga", lançado em 2013, vencedor do Edital Proac 2011 e indicado ao 24º Prêmio da Música Brasileira.


Duo Veredas


O Duo Veredas é composto pela inusitada formação de piano e bandolim, e explora elementos sonoros típicos desses instrumentos além de utilizações incomuns em contextos menos usuais. O pianista Daniel Grajew e o bandolinista André Bachur aproveitam suas variadas influências e criam um repertório que percorre diversos caminhos ou "veredas", indo do repertório brasileiro à música clássica, passando pelo jazz e outros estilos. A "viagem" por essas veredas também está na maneira como o Duo interpreta as obras, deixando-se levar por caminhos inusitados e imprevistos, reinventando e universalizando as peças.

Os integrantes do Duo Veredas são formados pela USP (Universidade de São Paulo) e desenvolvem o trabalho desde 2014, apresentando-se regularmente na cidade de São Paulo e região, incluindo o Circuito Universitário (SESC, Casa das Rosas, CPC-USP Casa de Dona Yayá, Biblioteca Brasiliana Mindlin). Destacam-se entre as apresentações os tributos realizados nos aniversários de Luiz Gonzaga e Pixinguinha, onde ambos compositores foram homenageados. O Duo trabalha com temas autorais, tendo inclusive recebido premiações na categoria composição (Programa Nascente USP, 2014).